Friday, December 15, 2006

Muito além do preto e branco

Muito além do preto e branco
Imprimir E-mail
Por Revista RAIZ.
30 de novembro de 2006

Engajados em produções de filmes de cunho social, entrevista com os idealizadores do filme Família Alcântara.

Por Fábio Rayel

O documentário conta a história da família remanescente de escravos africanos no município de João Monlevade, em Minas Gerais, símbolo de resistência cultural. Um belo coral de vozes, formado por 45 vozes de todas as gerações, que encantam o público ao som de músicas religiosas, espirituais e blues. “Sempre que assisto o filme me emociono em alguma parte diferente”, diz Daniel Sola Santiago diretor do longa-metragem que se aprofunda nessa história de mais 200 anos. Ele começou a carreira como office-boy, passou pela publicidade, migrou para a televisão e se depararou com a turma de peso do globo repórter dos anos 80, sua escola de documentário. Na produção do filme, Daniel contou com a parceira de sangue, Lílian Sola Santiago. Os irmãos, em 1998 estavam à procura de títulos sobre a temática afro-brasileira quando viram uma matéria sobre a Família Alcântara. A dupla não hesitou em investigar o caso. Iniciaram a descoberta. “No começo era pra ser um curta-metragem, mas conforme a pesquisa ganhou força, vimos que um curta era muito pequeno para a tamanha necessidade de publicar todo o material”, diz Lílian. Em entrevista ao portal RAIZ., os sócios da DSS produções - voltada a trabalhos sobre a temática afro -, contam como é árdua a luta para fazer cinema independente no país da “minoria branca”. Engajados em produções cinematográficas de cunho social, os dois falam sobre o preconceito na sociedade brasileira, os estereótipos do cinema e a falta de ética que há por trás das câmeras. De porta em porta, a dupla luta para divulgar a Família Alcântara e encontrar o seu público, e afirmam “os negros precisam começar a assinar o cheque!”.


Leia entrevista em:

1 comment:

grupo tradição said...

Esse documentário é excelente!