Thursday, July 20, 2006

Pro-Cotas!

A idéia de que as cotas "instituem o racismo no Brasil" é um dos argumentos mais pífios de todos os que escutamos por ai. Todos sabem quem são os negros na hora de achacar, humilhar, quando o Estado entra nas favelas matando, quando os policiais entram nos ônibus fazendo blitz, quando os hotéis e porteiros indicam os elevadores de serviço, quando a Universidade através do seu vestibular, que deveria ser extinto, impede que negros e pobres entrem no sistema de educação superior. Todos esses são mecanismos de produção de racismo e desigualdade.

Mas o conservadorismo "anti-cota" não pensa assim. Só não pode o contrário, identificar quem são os negros (quem se auto-declara e sente na pele o preconceito) na hora de beneficiar. Ai, anossa elite branca, acha que as cotas "vão instituir o racismo no Brasil.

A Universidade hoje funciona como uma reserva de mercado para a "competência" de um restrito grupo social, que não necessariamente chegou até a universidade por uma meritocracia abstrata, mas porque faz parte de um grupo, nossa elite mínima, que certamente teve muito mais vantagens históricas, sociais, muitas facilidades, incentivos, subsidios para atingir tanto mérito "abstrato" .

Dai ser muito razoável ao menos diversificar a "cota" de vantagens e direcioná-la a outros grupos e sujeitos sociais, que ficaram de fora dela. A relação entre cor da pele e pobreza, os mais probres são os mais negros, também é real. A mera implantação das cotas sociais (para quem ganha menos que um salário mínimo já atinge e beneficia a população negra), mas as cotas raciais são também uma proposição politica de reconhecimento e explicitação do racismo j´[á existente e implantado nesse país.

Diante disso o discurso da "igualdade" da constituição da " meritocracia" é hipócrtita e conservador, existe para mão mudar NADA. A idéia de que o mérito e a competencia individual superam entraves sociais e preconceitos ancestraisfica fica bastante abalada, pois nosso "mérito" e "competência" entre outros, claro, é fazer parte dessa pequena elite branca, dessa outra cota, grupo bastante corporativo e bravo defensor de suas vantagens conquistadas, sua inteligência "neutra" e "abstrata", seu mérito e interesses "universais" e "aplicável" a qualquer outro grupo e contexto..

O fato de uma ínfima minoria de negros ter entrado no sistema universistário ou ter virado professor (exceções que confirmam a regra da exclusão) não desqualifica uma politica de cotas que é sim de UNIVERSALIZAÇÃO desses direitos, que está prevista para durar 10 anos e segue simultaneamente uma politica necessária e urgente de melhoria e transformação do ensino básico.

Ao meu ver, o não reconhecimento dessa parcialidade e desequilibrio historicos de desigualdade racial no Brasil é que seria lamentável e não o contrário.

Acho a politica de cotas um dos grandes méritos e acertos desse governo

O alarminsmo, o medo do outro (dos pobres, dos negros) fica evidente nesses argumentos abaixo que falam em quebra-quebra, tumulto, apelando para os piores sentimentos !


Ivana Bentes
Escola de Comunicação da UFRJ

1 comment:

psonica said...

Great site loved it alot, will come back and visit again.
»